Cadê meu repelente?!? Guia prático, mosquito mutante, calamidade publica e afins

Helloucas!!!!!

Quem não iniciou a corrida louca atrás do repelente exposis levanta a mão!!!! Bem ao estilo “pânico, tumulto, guerra? não! é a liquidação das lojas DIC!!!” Sem falar nas receitas caseiras de repelente, da fórmula de homeopatia…

Aedes_aegypti_E-A-Goeldi_1905

Por todos cantos só se fala em dengue, mosquito mutante, enfim….. E tem que ser assim mesmo, porque a coisa está realmente séria!!! Anteontem desci no elevador do escritório na agradável companhia de um mosquito da dengue!!!!!! Quase surtei quando vi o corpo rajadinho!!!!

Eu achei que fosse passar sem falar sobre esse assunto, mas não consegui… Aqui no Blog, só falo de algo se ele me afeta ou tem a ver comigo de alguma forma e essa semana aconteceu: minha família desistiu de viajar na semana santa pois li uma matéria (aqui) que a cidade de Caraguatatuba decretou estado de calamidade publica por causa da dengue em março. E não tem a ver com ficar “profundamente” abalada por passar o feriado em SP ou qualquer outra bobagem que se possa pensar, mas sim porque pela primeira vez eu senti medo! Medo por causa da (grave) alergia que Luna tem a picadas de insetos (contei aqui e aqui) e o risco de expor as crianças a isso, sem poder garantir 100% de proteção…. Vale arriscar a saúde das crianças por uns dias na praia, areia, barriga pra cima, sol, agua do mar, peixinho, cervejinha? Para mim, sem qualquer dúvida, não….

dengue_mosquito

Um tempo atrás um audio onde uma mulher falava que tinha acabado de assistir uma palestra sobre um mosquito da dengue mutante que se reproduzia até em agua salgada, causou  nas redes sociais, mas foi rapidamente desmentido pelo próprio médico Dr. David Uip, infectologista e secretário da saúde do Estado, nas redes sociais e noticiários (quem não viu, segue aqui uma materia). Ainda assim causou uma corrida sem freio ao repelente exposis, que rapidamente se esgotou nas principais farmácias!!!

Eu já conheço esse repelente já anos, foi recomendado pelo pediatra da Luna assim que percebemos o quanto era alérgica, mas confesso que passar diariamente nas crianças tem me causado um grande desconforto… Sabe aquilo de não saber o quanto é ou não prejudicial? E lá fui eu pesquisar sobre o assunto…

O que eu achei na internet:

– Icaridina: O mais eficiente atualmente disponível – Ex: Exposis

– DEET: O mais comercializado atualmente – Ex: Off Kids, Autan, Super Repelex

– IR 3535: Ex: Loção antimosquito (pode ser usado na gestante e em crianças a partir de 6 meses)

– Repelentes naturais: não garantem proteção adequada ao mosquito da dengue, devendo ser evitados – Ex: Pulseira de citronela mega na moda (em crianças maiores de 3 anos e sem quadro de alergia), velas, óleos com cravo, etc

– Repelentes de tomada: os repelentes liquidos ou de pastilhas dizem ser eficazes contra o mosquito da dengue. Vale ler a embalagem para ter certeza – Ex: SBP, Raid. Os repelentes ultrassônicos e dispositivos elétricos luminosos com luz azul (a luz atrai os insetos, mas não previne as picadas) são ineficazes.

Tem uma tabelinha pratica que eu achei no site da médica Iana Rodrigues, segue abaixo (veja a matéria sobre repelentes na íntegra aqui):

TabelaRepelente

Tomei um susto ao ver que alguns são indicados para crianças a partir de 12 anos! Ou seja, LEIA SEMPRE A BULA/ EMBALAGEM DE TUDO O QUE FOR USAR!!!!!

Além disso, achei uma matéria no site da Sociedade Brasileira de Dermatologia, publicada no fim de março/2015, que virou meu “guia prático”.

Espero que gostem!!!!

Bjos e até a próxima!!!

Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta sobre o uso de repelentes em crianças

Um grande número de casos de dengue vem sendo registrados no país, principalmente no Estado de São Paulo. A fim de proteger seus filhos da doença, pais estão fazendo uso indiscriminado de repelentes em crianças. A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) alerta que é preciso tomar alguns cuidado e ter conhecimento sobre os produtos disponíveis, sua eficácia e segurança de acordo com a idade da criança.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda a utilização de repelentes em crianças de acordo com a fórmula do produto, que podem ser sintéticos ou naturais. Ao escolher o produto indicado para as crianças, é importante consultar um médico dermatologista.

Os princípios ativos dos repelentes recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) são:

  • Icaridina (KB3023): uso permitido no Brasil em crianças a partir de 2 anos de idade em concentração de 25% cujo período de proteção chega a 8 a 10 horas.
  • DEET: Em concentração de até 10% pode ser utilizado em maiores de 2 anos, sendo que não deve ser aplicado mais que 3 vezes ao dia em crianças de 2 a 12 anos.
  • IR 3535 30%: permitido pela Anvisa para crianças acima de 6 meses. Seu período de proteção conferido é de 4h.

Existem ainda os repelentes naturais, no entanto, como são altamente voláteis e seu efeito costuma ser de curta duração, não garantem proteção adequada ao Aedes aegypti, devendo ser evitados.

Bebês com até 6 meses só devem usar mosquiteiros e roupas protetoras. Não é recomendada  nenhuma substância química na pele ou repelentes elétricos que contenham produtos químicos no ambiente onde se encontram. É recomendado instalar telas nas janelas e portas e deixar o ambiente refrigerado já que os mosquitos gostam de calor e umidade.

Em geral, o uso de repelentes deve ser evitado nas crianças menores de 2 anos. Dos 6 meses aos 2 anos devem ser utilizados apenas em situações especiais, com orientação e acompanhamento médico.

Veja algumas dicas ao aplicar os repelentes:

–  Procure vestir roupas brancas nas crianças, pois roupas coloridas atraem os insetos, assim como perfumes.

–  Os dispositivos ultrassônicos e os elétricos luminosos com luz azul são ineficazes.

–  Não deve-se utilizar produtos combinados com filtros solares, pois eles costumam ser reaplicados com uma frequência maior e os repelentes não devem ser aplicados mais do que três vezes ao dia em crianças.

–  O suor atrai os insetos.

–  Não durma com repelente no corpo, lave-se antes.

–  Leia todo o rótulo antes de aplicar o produto e conserve-o para consulta.

–  Mantenha os repelentes fora do alcance de crianças e não permita sua autoaplicação.

–  Evite o uso próximo a mucosas (boca, nariz, olhos, genitais) ou em pele irritada ou ferida. Para uso na face, primeiro aplique o produto nas mãos e então espalhe no rosto com cuidado.

–  Evite aplicação nas mãos das crianças e por baixo das roupas. Sempre lave as mãos após aplicar o produto.

–  Use quantidade suficiente para recobrir a pele exposta e evite reaplicações frequentes.

–  Se suspeitar de qualquer reação adversa ou intoxicação, lave a área exposta e entre em contato com o serviço de intoxicação. Se necessário, procure serviço médico e leve consigo a embalagem do repelente.

Devem-se procurar produtos aprovados pelo Ministério da Saúde e/ou Anvisa, pois garantem que o produto seja eficaz e seguro.

O mais importante no combate ao mosquito da dengue é evitar que ele prolifere, não deixando acumular água, principalmente em pneus, no lixo, nos copos plásticos, tampas de garrafas, latinhas, como também deixando que o agente de saúde aplique o pó nos ralos e locais onde se acumula água. É importante manter o quintal da casa e as calhas limpas, sem água empoçada. Recolher o lixo e fechá-lo no saco plástico e não jogar lixo no chão são medidas simples e práticas para salvar vidas.

Fonte: http://www.sbd.org.br/sociedade-brasileira-de-dermatologia-alerta-sobre-o-uso-de-repelentes-em-criancas/

Anúncios
Categorias: geral | 2 Comentários

Navegação de Posts

2 opiniões sobre “Cadê meu repelente?!? Guia prático, mosquito mutante, calamidade publica e afins

  1. Boa tarde! Parabéns pela informação é muito útil pra gente ficar a par dos vários tipos de repelentes e suas fórmulas. Esta semana assisti um programa no canal de TV e pelo que entendi o especialista dizia que para evitar intoxicar o organismo com o mesmo principio ativo é bom fazer um rodizio(pra quem tiver condições de ter mais de 1 repelente com fórmulas diferentes e se precisar em algum momento de mais horas de proteção, não sempre e sempre sem exageros), uma vez que só podemos passar 3 vezes ao dia cada fórmula (Icaridina / Deet / IR3535), claro sempre com prudência e responsabilidade, principalmente em se tratando de crianças, NÃO vá passar a cada 1 hora um repelente diferente e falar que leu por aí onde diziam que é assim que se faz, leia, pesquise e duvide sempre, afinal qdo se trata das nossas crianças todo cuidado é importante.

    • Obrigada Marcelo pela contribuição! Como tudo que diz respeito aos pequenos, o
      Importante é estar sempre atendo às informações sobre cada produto para o uso correto. Estamos todos no mesmo time!!!

palpita aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Mães Loucas

porque "mãe louca" é redundância.

Mãe-solteira recém-casada

porque "mãe louca" é redundância.

porque "mãe louca" é redundância.

Mamatraca

porque "mãe louca" é redundância.

bora.ai blog

bora aí blog - dicas

Minha Mãe que Disse!

porque "mãe louca" é redundância.

Pequena que pariu

porque "mãe louca" é redundância.

O Blog da Sofia

Tudo sobre bebês e ser mãe, da gravidez ao nascimento do filho.

%d blogueiros gostam disto: