Papo de Pai Louco – conheça o Gustavo Calabró

Nos 45″ do segundo tempo, quase um ano depois que criamos este espaço para dar voz aos pais loucos que conhecemos, consegui me sentar para entrevistar o Gustavo, meu marido. Acho que a convivência, às vezes, faz com que apaguemos da nossa mente as características individuais e maravilhosas das pessoas com quem convivemos todos os dias – como o cheiro daquele perfume que a gente usa todos os dias e, depois de um tempo, nem percebe mais, embora ele esteja lá para o resto do mundo.

Mas finalmente conseguimos; depois de um dia bastante agitado, depois de dar banho na galera, depois de fazer eles dormirem, entre um filme e um jogo de futebol americano (que adoramos!), cá estamos nós.

Então, agora, quero compartilhar com vocês o paizão que é esse meu marido, companheiro de mais de 11 anos, divertido, engraçado, parceiro, cúmplice, apoiador e, claro, um super pai!

Seja bem vindo, Gu!

********************************************************************************************

 

_NIK5198

 

ML: O que você lê com seus filhos? (quando você escolhe, não eles)

Gustavo: Não tenho muito tempo para ler com eles, mas quando leio, é sempre alguma coisa que eles escolhem. Eu gosto quando eles escolhem para ler livros que têm ilustrações bonitas.

ML: E o que você lê quando está sozinho?

Gustavo: Chatices! Costumo ler notícias sobre economia, negócios, mas gostaria de ler um pouco mais de literatura, só não sei ainda que tipo que eu gosto.

ML: Quais são as 5 melhores músicas para se ouvir com seus filhos?

Gustavo: Gosto de música eletrônica, e na maioria das vezes elas são músicas animadas, dançantes, que as crianças adoram. As top 5 do momento, em casa, são: Happy, do Pharrell Williams, I feel so close, do Calvin Harris, I got U, do Duke Dumont, Rather be, do Clean Bandit, e Waves, do Mr. Probz.

ML: E as 5 melhores para ouvir sozinho?

Gustavo: Atualmente, ouvir música sozinho não tem sido uma coisa muito frequente… crianças, trabalho, casa e mulher deixam os dias um pouco ocupados. Mas dou preferência para ouvir músicas do tipo Lost in the light, do Bahamas. Mas essa calma não dura muito e acabo ouvindo algo mais agitado, mesmo sozinho.

ML: Passatempo preferido para fazer com eles?

Gustavo: O meu passatempo preferido é ouvir, quando tem tempo, a mãe deles contar histórias para eles. Também faço parte da plateia! Ouvir música e dançar um pouco com eles também está nos passatempos preferidos.

ML: Melhor passatempo quando você está sozinho?

Gustavo: Gosto de curtir minha esposa; pode ser vendo um filme, ouvindo música, conversando, fazendo coisas de casal sem filhos.

ML: Em que sentido seus filhos te fazem uma pessoa melhor? Ou não fazem? rs

Gustavo: Fazem, claro! Eles me fazem perceber que a vida passa rápido, e que, por mais que alguns momentos sejam difíceis, a gente sempre tem que tentar enxergar as coisas boas e tentar vivê-las da melhor maneira possível. E uma das coisas que estou aprendendo com eles, no momento, é a ter mais paciência – ou pelo menos tentar.

ML: O que você descobriu no universo paterno que te surpreendeu (no bom sentido)?

Gustavo: Descobri que ser pai de menina é bem menos difícil do que eu achava que seria. E que ser pai de menino é mais difícil do que eu achava que poderia ser!

ML: E o que você não suporta a respeito desse universo paterno?

Gustavo: Fraldas! Ter que ficar cuidando dos 3 enquanto minha esposa está no provador de alguma loja, enquanto eles detonam o lugar.

ML: Uma característica de cada um dos seus filhos da qual você se orgulha?

Gustavo: A Elis é carinhosa, o Chico é persistente e o Caê é determinado.

ML: E uma da qual você se orgulha em si mesmo, como pai?

Gustavo: Tentar ser, cada dia, mais paciente com eles.

ML: Vida de pai, antes e depois: é muito diferente? Por quê?

Gustavo: Sim, porque você começa a perceber que, apesar de existirem sei lá quantos bilhões de pessoas no planeta, você começa a se preocupar mais com as outras pessoas, principalmente com seus filhos. Quando você não tem filhos, suas preocupações têm um significado diferente.

ML: Que tipo de indivíduos você espera deixar para o mundo?

Gustavo: Pessoas melhores do que eu. Não que eu me ache uma pessoa ruim para o mundo, mas sempre achamos que podemos ser melhores em algumas coisas que não conseguimos ser e que sempre podemos fazer mais, mesmo achando que já fizemos tudo que fosse possível. Ser pai é querer que seus filhos sejam o seu reflexo melhorado.

Anúncios
Categorias: convidados, Papo de Pai Louco | Tags: , | 2 Comentários

Navegação de Posts

2 opiniões sobre “Papo de Pai Louco – conheça o Gustavo Calabró

  1. Gabriela Chamusca

    ADORO ESTA FAMÍLIA!!!!!!!!
    Aqui Caca é carinhosa, João persistente e Mari determinada!

palpita aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Mães Loucas

porque "mãe louca" é redundância.

Mãe-solteira recém-casada

porque "mãe louca" é redundância.

porque "mãe louca" é redundância.

Mamatraca

porque "mãe louca" é redundância.

bora.ai blog

bora aí blog - dicas

Minha Mãe que Disse!

porque "mãe louca" é redundância.

Pequena que pariu

porque "mãe louca" é redundância.

O Blog da Sofia

Tudo sobre bebês e ser mãe, da gravidez ao nascimento do filho.

%d blogueiros gostam disto: