o gato, Mia Couto e James Joyce

bom dia, leitores!

sábado passado, peguei as crias e fomos passeando até a Livraria Nove Sete para assistir ao recital de música do João e do Martim, colegas de classe da Elis, que aliás foi muito legal!

depois de terminado, andamos pela livraria à procura de alguns livros para levar pra casa. Elis escolheu um livro da Cuca, do Sítio do Pica-Pau Amarelo, e Chico pegou um sobre carros. tendo sobrado ainda algum dinheiro do presente que minha tia Aude deu às crianças para comprar livros, escolhi mais dois títulos com um tema em comum (do qual gosto muito): o gato. escolhi os livros pelo tema e pelas lindas ilustrações de capa, mas só numa segunda passada de olhos foi que me dei conta de uma curiosidade muito boa: um dos livros era do Mia Couto e o outro, do James Joyce. que tal? que feliz coincidência escolher dois livros infantis escritos por autores conhecidos por suas obras para adultos!

O Gato e o Escuro, da Cia. das Letrinhas, é “uma história contra o medo“, segundo seu autor, o moçambicano Mia Couto. quem ainda não o conhece está perdendo uma pérola da língua portuguesa! ele escreve de forma lúdica, criando palavras cujo sentido parece totalmente natural para quem lê. suas histórias escritas soam como narrativas faladas, remontando a gerações incontáveis até nossos longínquos ancestrais. e este livro em questão, escrito para leitores-mirins, tem a mesmíssima cadência gostosa de ler.

O Gato e o Diabo, da Cosac Naify, é de ninguém menos que James Joyce, o irlandês famoso por UlyssesFinnegans Wake e Dubliners, entre outras obras igualmente fascinantes e complexas. Joyce é conhecido por usar um fluxo narrativo similar ao pensamento, criando uma leitura muitas vezes difícil de acompanhar. porém, este livro em questão tem uma narrativa super fluida e direta. é uma carta para seu neto Stephen, contando sobre uma ponte na cidade francesa de Beaugency.

para quem aprecia literatura, ambos os títulos são um prato cheio, com ilustrações maravilhosas e textos de autores que sabem que escrever para crianças não é diferente de escrever para adultos. “Não sei se alguém pode fazer livros ‘para’ crianças. Na verdade, ninguém se apresenta como fazedor de livros ‘para’ adultos.“, diz Mia Couto na introdução de seu livro. sendo uma pessoa que ama literatura infantil tanto quanto a dita ‘adulta’, não posso concordar mais com ele. 😉

O Gato e o Escuro

O Gato e o Escuro

  O Gato e o Escuro

  Mia Couto [ilustração Marilda Castanha]

  Cia. das Letrinhas

  2008

  40 páginas

  r$ 34 (na Cultura)

.

.

.

O Gato e o Diabo

O Gato e o Diabo

  O Gato e o Diabo

  James Joyce [tradução Lygia Bojunga, ilustração Lelis]

  Cosac Naify

  2012, 32 páginas

  r$ 39,90 (na Cultura)

Anúncios
Categorias: leituras, livros, livros infantis | Tags: , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

palpita aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Mães Loucas

porque "mãe louca" é redundância.

Mãe-solteira recém-casada

porque "mãe louca" é redundância.

porque "mãe louca" é redundância.

Mamatraca

porque "mãe louca" é redundância.

bora.ai blog

bora aí blog - dicas

Minha Mãe que Disse!

porque "mãe louca" é redundância.

Pequena que pariu

porque "mãe louca" é redundância.

O Blog da Sofia

Tudo sobre bebês e ser mãe, da gravidez ao nascimento do filho.

%d blogueiros gostam disto: