Quando minha filha me contou que estava grávida, sei lá, a vida mudou! Acho que fiquei “avógravida”.

“Avógravida” é um estado de graça do qual não saí mais.

Só que o jeito de ser vovó para mim e para muitas outras vovós não é mais como aquele de antigamente, da vovó de cabelinhos brancos, recolhidos num coque, sentadinha numa cadeira de balanço, tricotando.

Acontece que muitas mulheres como eu têm passado por transformações importantes, consequência da busca por si mesmas e por espaços a serem ocupados por esses achados.

As mães de hoje trabalham, como minha filha, quer seja para auto realização, quer seja para complementar a renda familiar, ou por ambos os motivos.

As avós também, como eu.

Trabalho, viajo, estudo, cuido do corpo.

Construí minha casa, pensando em mim e nas “crianças”, com meu tão sonhado jardim, com um belo gramado para netinhos e netinhas correrem, com uma hortinha cheia de verdinhos orgânicos para a gente se distrair e comer.

Quando a Rafa, minha primeira netinha, nasceu, tirei 15 dias de férias e fiquei ao lado dela, observando, escutando, protegendo, respeitando e ajudando sempre que necessário. E senti tanto orgulho deles, minha filha, meu genro e minha netinha, tão lindos, já tão cúmplices, tão sábios.

Passados estes quinze dias, voltei para casa e para o trabalho sabendo que minha filha é uma mãe amorosa e determinada, segura de suas escolhas e que estava muito bem acompanhada pelo seu companheiro.

Dentro de todas as minhas transformações ganhou força esse novo espaço interno de ser avó e precisei criar o espaço externo para realizar-me enquanto tal.

No mínimo uma vez por semana, comprometi-me comigo, e dei conta.

Quando posso buscar a Rafa na escola, lá estou eu esperando por ela no portão e sou premiada com um sorriso indescritível, confirmando nossa cumplicidade e amor incondicional.

Ano e meio depois veio a Dora, filha do meu filho, e novas experiências, novos desafios, mas tudo de novo, a mesma emoção, estado de graça em dobro. Nova busca por espaços, mais cumplicidade e amor incondicional.

Acho que o espaço interno é infinito porque quero mais netos e já sei, cabem todos os meus amores no meu coração.

Marta Grzywacz

Anúncios
Categorias: convidados, Marta Grzywacz | 4 Comentários

Navegação de Posts

4 opiniões sobre “Quando minha filha me contou que estava grávida, sei lá, a vida mudou! Acho que fiquei “avógravida”.

  1. Helena

    Que texto mais lindo Marta! Minha mãe, a vovó do Luc, é como você…. trabalha pacas, é linda e vaidosa e tem um espaço mais do que especial para o neto. Sabe, outro dia li um artigo no jornal que falava que as baleias tambem são avós…. achei a coisa mais linda …. quando os filhotes dos seus filhos nascem a baleia-avó esta ali, ao lado, ajudando, protegendo, ensinando …. Bom dia para vcs! E bom fim de semana a todas!!!!!!!!! =)

  2. Juliana

    Lindo texto, Marta. Rafa e Dora são mesmo netinhas privilegiadas..!!!

  3. silvio de sousa

    Parabéns às Mães Loucas! O blog está ficando muito louco.

    Beijão às 4 loucas,

    Silvio

  4. Zilma Zakir

    Marta, compartilho este estado de graça… parabéns pelo texto, mostra que veio do coração.

palpita aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Mães Loucas

porque "mãe louca" é redundância.

Mãe-solteira recém-casada

porque "mãe louca" é redundância.

porque "mãe louca" é redundância.

Mamatraca

porque "mãe louca" é redundância.

bora.ai blog

bora aí blog - dicas

Minha Mãe que Disse!

porque "mãe louca" é redundância.

Pequena que pariu

porque "mãe louca" é redundância.

O Blog da Sofia

Tudo sobre bebês e ser mãe, da gravidez ao nascimento do filho.

%d blogueiros gostam disto: