“Dúvidas de mãe”, da Larissa Fonseca

Quando nasce uma criança, nasce também uma mãe. E uma lista de dúvidas com mais itens que lista de supermercado do mês.

Pense numa pessoa tranquila, segura e divertida, que entende tudo de criança e de mães. Uma pessoa que, mesmo ser ter seus próprios filhos (por enquanto!), tem uma vasta experiência com mães e pais de primeira viagem e seus filhotes: essa pessoa é a Larissa Fonseca, pedagoga e psicopedagoga e autora do livro Dúvidas de mãe, publicado pela editora Pá de Palavra.

Eu conheci a Larissa há quase um ano, quando ela veio me apresentar seu livro recém-lançado. Batemos um papo muito gostoso tomando um café, enquanto ela falava sobre sua carreira de mais de 15 anos na área de Educação, em que atua dando palestras e cursos sobre assuntos ligados ao universo infantil para pais e educadores. Ela também atende pessoalmente pais e mães que acabaram de ter seu primeiro filho, ajudando a dar conforto e tirar aquelas dúvidas que insistem em aparecer e se multiplicar.

Como ela trabalha nesse atendimento há muitos anos, sacou que por mais diferentes que sejam os homens e mulheres recém-paridos, as dúvidas são sempre as mesmas: por que meu filho não dorme? O que significa esse choro? Dou chupeta ou não? Quando minha filha vai dormir a noite toda (e eu também)? Quando ele vai sentar? E engatinhar? E andar? E falar? Etc, etc…

O legal do livro da Larissa é a forma como ele é escrito. Pensando que pais e mães com bebê pequeno mal têm tempo de tomar banho e escovar os dentes, quanto mais de ler um livro inteiro para aprender como lidar com cólicas, por exemplo, ela separou o livro todo em pequenas ‘pílulas’ com tópicos específicos. Dá para se informar sobre a dúvida que te assola naquele minuto entre um choro e uma fralda suja, ou entre uma mamada e uma cólica. Super prático!

Se você quiser conhecer mais sobre a Larissa, ela tem vários vídeos educativos no canal dela no YouTube. E se você ficou interessado no livro Dúvidas de mãe, prepare-se: nós vamos fazer um concurso cultural na nossa fanpage do Facebook!

Para participar, basta contar nos comentários do post sobre o concurso a história mais engraçada de pós-parto que aconteceu com você: pode ser o dia que você saiu de casa com diferentes pés de sapato em cada pé, ou quando atendeu a porta de casa só de sutiã, ou a semana que ficou de camisola por sete dias seguidos! Os leitores vão escolher a melhor história e o autor da mais votada vai ganhar um exemplar do livro da Larissa!

Participe!

Categorias: leituras, livros, livros sobre maternidade, livros sobre puericultura | 1 Comentário

(mais) 3 livros para arrancar lágrimas dos olhos – especial ilustradores que amamos!

compre aqui

compre aqui

três meses atrás, eu escrevi aqui sobre como literatura infantil pode ser emocionante e tocar a gente de surpresa. vira e mexe, fuçando as estantes do setor infantil das livrarias e bibliotecas, eu encontro um livro daqueles arrebatadores, que me fazem chorar na frente das crianças e ter que responder perguntas embaraçosas como ‘por que você está chorando?’ e ‘machucou onde, mamãe?”…

tenho pesquisado vários ilustradores bacanas, e na lista de publicações de quase todos tem um desses livros lindos, com histórias emocionantes e desenhos incríveis. por isso, a lista de hoje é um especial ilustradores que amamos – alguns dos autores/ilustradores mais fantásticos que encontramos por aí.

então, prepare sua caixa de lenços de papel e boa leitura!😀

compre aqui

compre aqui

O coração e a garrafa
(Oliver Jeffers, Salamandra)

se você faz parte do clubinho Astronautas de Histórias, com certeza já ouviu falar dele (ele é o autor e ilustrador do livro O incrível menino devorador de livros)! Oliver Jeffers é um artista completo, pinta telas realistas a óleo, ilustra livros de outros autores e escreve histórias engraçadas e comoventes usando suas próprias ilustrações. irlandês engraçado e criativo, Oliver Jeffers é um ótimo contador de histórias – seja através de desenhos ou de palavras. o livro O coração e a garrafa conta a história de uma menina que, ao se deparar com a dor da perda, decide que vai guardar seu coração num lugar seguro para nunca mais sofrer. o problema é que, com o tempo, ela passa a não sentir muitas outras coisas que fazem a vida valer a pena. se você também se vê nesse dilema pelo menos uma vez no ano, vai se identificar – e provavelmente chorar.🙂

compre aqui

compre aqui

Pedro e Lua
(Odilon Moraes, Cosac Naify)

já deu pra perceber que eu curto bastante o trabalho do Odilon Moraes, não deu? (rs) ele começou sua carreira ilustrando o trabalho de outros autores e, depois de um tempo, encarou a profissão de escritor e se saiu incrivelmente bem. difícil dizer se ele é melhor escritor ou ilustrador… seu primeiro livro foi Princesinha medrosa, também já explorado pelos Astronautas de Histórias! neste livro aqui, ele conta a história do menino Pedro e de sua amiga inesperada, a tartaruga Lua. juntos eles olham a lua e as estrelas, e toda vez que Pedro viaja Lua se esconde dentro do casco de tristeza. uma história sobre saudade e perda, pra lembrar de aproveitar cada segundo do agora, porque amanhã já pode ser uma nova história.

compre aqui

compre aqui

A árvore vermelha
(Shaun Tan, SM)

o australiano Shaun Tan foi, pra mim, um achado. não me lembro bem como, mas um dia, pesquisando livros infantojuvenis com minha amiga Bia na Livraria Cultura (muito antes de eu querer mergulhar nesse mundo), o livro Contos de lugares distantes caiu no meu colo e comecei a folheá-lo. na hora, me senti transportada a um mundo fantástico, cheio de figuras estranhas e paisagens insólitas. pesquisando sobre ele, descobri que Shaun Tan entrou para o mundo da ilustração no ramo da ficção científica, o que explica seus universos complexos e exóticos. no livro A árvore vermelha, ele explica aquela sensação que todos temos de tempos em tempos de que o dia que está nascendo vai ser igual a todos os outros, sem nada para esperarmos, e como a vida parece aos olhos de quem está vivendo esse momento. uns chamaram este livro de ‘deprimente’, mas outros (como eu) acham que, muito pelo contrário, é um livro que simboliza a esperança e as respostas que estão bem na nossa frente mas não conseguimos enxergar.❤

Categorias: livros, livros infantis | Tags: , , , | Deixe um comentário

(mais) 3 escritoras brasileiras de livros infantis (que não podem ficar de fora de nenhuma lista!)

compre aqui

compre aqui

estava contando pra minha mãe sobre o post da semana passada, quando ela me interrompe indignada: “Mas e a Tatiana Belinky, vai ficar de fora? Não pode escrever sobre autoras de literatura infantil no Brasil sem citar a Tatiana Belinky! Ela marcou a minha infância!!”😀

tentei argumentar minha escolha, dizendo que não dá pra compará-la com quem esteve numa nota de dinheiro ou com quem fez parte da ABL, mas ela encerrou o assunto me lembrando que foi a Tatiana Belinky (junto com o marido Júlio) quem fez a primeira adaptação do Sítio do Picapau amarelo pra TV!

ok, ok… então, atendendo a pedidos, aqui vão mais 3 escritoras brasileiras de literatura infantil e seus respectivos livros, que não poderiam ter ficado de fora da primeira lista (com um humilde e devido pedido de desculpas…):

compre aqui

compre aqui

Um caldeirão de poemas (Tatiana Belinky, Cia. das Letrinhas)
nascida em 1919 em Petrogrado, na Rússia, Tatiana Belinky veio pro Brasil com 10 anos de idade e aqui ficou. casou-se com o educador e médico Júlio Gouveia, que foi também seu parceiro de projetos televisivos: encenaram Os três ursos na extinta TV Tupi, onde ganharam um programa fixo, e depois adaptaram o Sítio do Picapau Amarelo pra TV. nesta época, Tatiana começa a ser premiada por seu trabalho como escritora e chega a trabalhar na TV Cultura, na Folha e no Jornal da Tarde, como cronista e crítica. em 1987 escreve Limeriques, baseado nos limericks, uma forma poética que usa versos em 5 linhas, e daí passa a escrever vários livros nesse tema (Limeriques do bípede apaixonadoMandaliquesLimeriques das causas e efeitosLimeriques estapafúrdios, entre diversos outros). Um caldeirão de poemas é um bom livro para entender o universo da escritora: tem traduções diretas do russo e do alemão, adaptações de histórias conhecidas e desconhecidas e diversos poemas próprios sobre os mais variados temas – felicidade, tristeza, medo, alegria… junte isso às maravilhosas ilustrações de vários artistas e pronto, um prato cheio para leitores de todas as idades!

ABolsaAmarelaA bolsa amarela (Lygia Bojunga, Casa Lygia Bojunga)
Lygia Bojunga nasceu em 1932, em Pelotas. começou a vida profissional como atriz de rádio e de teatro, escreveu seu primeiro livro em 1972, Os colegas, e não parou mais. foi a primeira brasileira a receber, em 1982, o Prêmio Hans Christian Andersen pelo conjunto da obra, concedido pelo International Board On Books For Young People (filiado à UNESCO), considerado uma espécie de Nobel da literatura infantojuvenil. além dela, só a Ana Maria Machado, em 2000! recebeu também o Prêmio Jabuti, e seus livros já foram traduzidos para dezenas de idiomas em inúmeros países, sendo altamente recomendados na Europa. o livro A bolsa amarela é um dos mais conhecidos da autora, e trata da repressão de 3 vontades da personagem principal, guardados numa bolsa amarela: a vontade de crescer, a vontade de ser menino e a vontade de ser escritora.

compre aqui

compre aqui

Maria vai com as outras (Sylvia Orthof, Ática)
Sylvia Orthof nasceu no Rio em 1932 também. filha de pintores, começou a vida nas artes plásticas, depois foi para o teatro e só mais tarde, em 1979, entra no universo da literatura infantil, passando a fazer parte da Revista Recreio a convite da Ruth Rocha. lança seu primeiro livro para crianças em 1981 e toma gosto pela escrita, passando a escrever cerca de 120 livros infantis e juvenis e peças de teatro! um de seus títulos mais emblemáticos é Maria vai com as outras, que conta a história da ovelhinha Maria que fazia tudo que as outras ovelhas faziam. até que, um dia, ela saca que pode ser dona das próprias vontades.

Categorias: livros, livros infantis | Tags: , , | Deixe um comentário

3 escritoras brasileiras de livros infantis que você com certeza leu na escola

compre aqui

compre aqui

Cecília, Ruth e Ana Maria.
o que estas três têm em comum? são mulheres, escritoras de livros infantojuvenis, premiadas e conhecidas.

qualquer pessoa que acompanhe o mercado editorial brasileiro (mas pode ser qualquer mercado em quase qualquer país) sabe que está aí uma combinação difícil de acontecer: ser escritora publicada, premiada e conhecida no país e no mundo. com todas as discussões sobre igualdade de gêneros que vêm acontecendo, surgem movimentos interessantes que lutam pelo reconhecimento do papel da mulher nos mais variados nichos, seja em profissões científicas, em posições de liderança em empresas, ou qualquer outro. um desses movimentos bacanas é um projeto chamado Leia Mulheres, que inspira leitores do mundo todo a lerem mais livros escritos por mulheres.

agora para e pensa: dos seus autores preferidos, quantos são mulheres? dos últimos livros que você leu ou ouviu falar, quantos foram escritos por mulheres? dos livros que você leu na escola, quando criança, quantos eram de escritoras brasileiras?

pois é. então, para tentar corrigir esse desajuste, relembro aqui 3 livros infantis que você com certeza leu na escola e, muito provavelmente, não se esqueceu até hoje!

compre aqui

compre aqui

Ou isto ou aquilo (Cecília Meireles, Global)
Cecília Meireles, a mais velha das três listadas aqui, nasceu no Rio de Janeiro em 1901 e morreu no ano em que um dos seus livros mais conhecidos, Ou isto ou aquilo, foi lançado, em 1964. filha de açorianos, ela ficou órfã ainda pequena e cresceu criada pela avó Jacinta. começou a escrever poesia aos 9 anos de idade, e aos 18 teve seu primeiro livro de poemas publicado. foi escritora, pintora, professora e jornalista, publicou incontáveis livros (não só infantojuvenis) e recebeu diversos prêmios e honrarias – e foi a única a aparecer numa cédula brasileira, a de 100 Cruzados Novos!

Screen Shot 2015-08-17 at 15.19.29

compre aqui

compre aqui

Marcelo, marmelo, martelo (Ruth Rocha, Salamandra)
Ruth Rocha nasceu em 1931, em São Paulo, mas só foi se tornar escritora beeeem depois. quando pequena, era leitora voraz de tudo que caía em suas mãos. formou-se socióloga, foi aluna do Sérgio Buarque de Holanda na USP e começou sua vida profissional no Colégio Rio Branco, primeiro como bibliotecária e, depois, como orientadora educacional. daí passou a escrever sobre Educação para revistas e logo foi parar nas colunas da Revista Recreio (que existe desde a década de ’60, sabia?). trabalhou também como editora na Abril, mas foi só muitos anos depois, aos 45 anos, que ela publicou Palavras, muitas palavras, seu primeiro livro. Marcelo, marmelo, martelo, um livro sobre um menino que decide renomear as coisas, foi seu maior best-seller e um dos maiores sucessos editoriais do Brasil, com 25 edições e 10 milhões de exemplares vendidos!

compre aqui

compre aqui

Bisa Bia, Bisa Bel (Ana Maria Machado, Salamandra)
Ana Maria Machado nasceu em 1941, no Rio de Janeiro, e é a única das 3 formada em Letras. estudou pintura em Nova York, fez pós-graduação em Linguística na França com Roland Barthes, foi presidente da Academia Brasileira de Letras de 2011 a 2013, onde ocupa a cadeira #1, foi uma das sócias editoriais da Quinteto Editorial junto com a Ruth Rocha, e em 1980 co-fundou a primeira livraria infantil do Brasil, a Malasartes, que existe no Rio até hoje! ela é uma das maiores porta-vozes da leitura infantil e da educação como direito básico de toda criança. escreveu tantos livros que não dá nem pra contar, teve histórias traduzidas pra mais de 20 idiomas pelo mundo e vendeu mais de 20 milhões de livros até hoje. seu Bisa Bia, Bisa Bel, escrito em 1981, foi premiado e teve mais de meio milhão de cópias vendidas. nele, Ana Maria Machado conta a história de uma menina chamada Isabel, que encontra um retrato de sua bisavó Bia entre as coisas de sua mãe e começa uma relação de muitas descobertas com essa pessoa tão especial e com sua própria futura bisneta.

Categorias: livros, livros infantis | Tags: , , , , | 2 Comentários

3 livros para ser detetive — autores estrangeiros

compre aqui

compre aqui

mais pistas falsas, mistérios perigosos, suspeitos estranhos e detetives engraçados!
depois de escrever sobre os 3 melhores escritores brasileiros de histórias de detetives na semana passada, deixo aqui mais 3 dicas de livros de detetives imperdíveis, mas agora é a vez de escritores americanos.
o bom é que, como os outros, as histórias destes se desenrolam em séries de vários livros; para leitores atentos, inteligentes e obsessivos.😀

compre aqui

compre aqui

Quem poderia ser a uma hora dessas? {Só perguntas erradas, vol. 1} (Lemony Snicket, Cia. das Letras)
Lemony Snicket é o pseudônimo do escritor americano Daniel Handler, autor da série de 13 volumes Desventuras em série sobre os irmãos Baudelaire. nesta nova série, Só perguntas erradas, acompanhamos o pequeno Lemony Snicket em seu primeiro ano depois de formado na academia de detetives, com sua tutora descabelada S. Theodora Markson pela cidade de Manchado-pelo-mar à procura de quem roubou a estatueta da Fera Ressonante. ao mesmo tempo intrigante e irreverente, Lemony Snicket tem um jeito sarcástico que cativa já nos primeiros parágrafos.

compre aqui

compre aqui

O labirinto dos ossos {The 39 clues} (Rick Riordan, Ática)
Rick Riordan é um escritor americano bastante conhecido pela série Percy Jackson & the Olympians, que virou uma franquia de filmes. nesta ambiciosa série, ele participa como autor de alguns volumes (cada livro é escrito por uma pessoa diferente) e como organizador da coleção. o primeiro livro, Labirinto dos ossos, foi escrito por ele e conta a história de dois irmãos, Dan e Amy, que ficam órfãos (como os Baudelaire do Snicket) e precisam escolher entre receberem uma herança milionária ou participarem de uma ‘caça ao tesouro’ em busca das 39 pistas que formam o ingrediente do soro capaz de criar o humano mais poderoso do mundo.

compre aqui

compre aqui

A misteriosa sociedade Benedict (Trenton Lee Stewart, Galera Record)
Trenton Lee Stewart é um escritor americano que ficou conhecido após o primeiro livro da série A misteriosa sociedade Benedict ter ficado na lista dos mais vendidos do New York Times e de ter recebido prêmios no ano de sua publicação. depois disso, Trenton Lee escreveu mais dois volumes da série, A misteriosa sociedade Benedict e a jornada periculosaThe mysterious Benedict Society and the prisioner’s dilemma (ainda sem tradução no Brasil), além do livro The extraordinary education of Nicolas Benedict (também sem tradução aqui), sobre a vida do personagem que dá nome à sociedade do livro. o primeiro volume conta a história de quatro jovens que se conhecem após lerem um misterioso anúncio no jornal para participar de uma série de testes para crianças excepcionalmente inteligentes, e após serem selecionados, partem numa busca misteriosa para descobrir um enigma que deixa a todos perplexos.

Categorias: livros, livros infantis | Tags: , , , , , | 2 Comentários

3 livros para ser detetive – especial autores brasileiros

compre aqui

compre aqui

rapto, sumiço, mistério, pistas falsas, suspeitos, perigo… quem aqui nunca se imaginou detetive por uns dias ao ler um livro bem escrito? elementar, meu caro leitor. a literatura tem esse poder de nos arrancar do nosso cotidiano e nos transformar num personagem envolvido nas intrigas de um mistério policial sem nem a gente perceber. e, quando nos damos conta, estamos parados no ponto de ônibus tentando descobrir quem poderia ter raptado o garoto de ouro ou quem sumiu com o caneco de prata…

se você sabe do que eu estou falando, deve ter lido Marcos Rey, João Carlos Marinho e Pedro Bandeira na escola. para muitos de nós, esses autores foram os responsáveis por nos introduzir ao mundo da literatura de mistério. os detetives desses livros eram jovens como a gente (na época! rs), um grupo de amigos que seguia pistas que os adultos nem percebiam ou achavam trivial demais, até chegarem a suspeitos perigosos através de lógica, dedução e raciocínio (e quase sempre um pouco de sorte).

João Carlos Marinho nasceu em 1935, no Rio, e morou em diversos lugares até se formar em Direito e abrir um escritório de advocacia aqui em São Paulo. em 1969 escreveu O gênio do crime, que introduziu a turma do Gordo aos jovens do Brasil. depois desse, ele escreveu mais 12 livros protagonizados por essa galerinha, tendo recebido o Prêmio Jabuti e o APCA pelo ótimo Sangue fresco, e o Prêmio Mercedes-Benz pelo Berenice detetive. escreveu, ainda, 4 livros para adultos.

Edmundo Donato, mais conhecido como Marcos Rey, nasceu em 1925 em São Paulo e morreu em 1999 aos 74 anos. escreveu durante toda sua vida e em diversos gêneros, como roteiros, contos, crônicas em jornais e revistas, traduções e adaptações, enfim. em 1981 se lançou na literatura juvenil com O mistério do 5 estrelas, protagonizado pelo Leo, mensageiro de um hotel chique, e seus amigos, que reaparece em outros casos nos livros O rapto do garoto de ouroUm cadáver ouve rádio e Um rosto no computador.

Pedro Bandeira nasceu em 1942, em São Paulo, e, apesar de já ter sido jornalista, ator, diretor e redator publicitário, foi como escritor de livros para o público infantojuvenil que ele se consagrou. em 1984, lançou A droga da obediência, voltado ao público jovem, que ele considera seu leitor-alvo, onde Os Karas apareceram pela primeira vez. Miguel, Crânio, Calú, Chumbinho e Magrí ainda aparecem em diversas outras aventuras do autor, como A droga do amor, Pântano de sangueA droga da amizade, entre outros.

esses escritores brasileiros não devem nada a Conan Doyle, Agatha Christie ou Lemony Snicket. O gênio do crime, por exemplo, foi lançado em 1969 sem alarde e conquistou toda uma legião de fãs, responsáveis pelas 60 edições do livro! isso, aqui no Brasil, é uma raridade. mas tem razão de ser: são livros super bem escritos, repletos de elementos indispensáveis a uma boa história de detetive, e ainda por cima com personagens parecidos com o leitor jovem.

então, se você tem filhos (sobrinhos, netos, afilhados, alunos…), não deixe de apresentar a eles esses “gênios do crime” brasileiros! e se você, como eu, estiver com saudades dessa galerinha-espiã, vale a releitura!😀

compre aqui

compre aqui

O gênio do crime (João Carlos Marinho, Global)
quem já colecionou figurinhas sabe que tem aquelas raras, que quase nunca saem e que valem ouro. para completar um álbum é preciso paciência, estratégia e sorte, e, neste livro, Seu Tomé dava prêmios a quem realizava essa façanha. mas uma fábrica clandestina começa a inundar a cidade com as figurinhas raras, fazendo com que não haja prêmios para todos que completam seus álbuns. em meio à revolta geral, Gordo, Edmundo, Pituca e Berenice se aventuram em descobrir quem está por trás desse plano maligno e o que querem os criminosos. o chefe da quadrilha, um verdadeiro ‘gênio do crime’, trava um verdadeiro duelo de inteligências com o Gordo. quem vai ganhar?

compre aqui

compre aqui

O mistério do 5 estrelas (Marcos Rey, Global)
Leo, um garoto de 16 anos que trabalha como mensageiro do Hotel Emperor Park, famoso por acolher gente muito conhecida e poderosa, descobre um cadáver embaixo da cama de um hóspede particular, o Barão. apesar de contar à polícia o que viu, Leo e seus amigos Gino e Ângela vão tentar desvendar o mistério por conta própria, e acabam por se encontrar em maus lençóis…

compre aqui

compre aqui

A droga da obediência (Pedro Bandeira, Moderna)
Miguel, Crânio, Calú, Chumbinho e Magrí são cinco estudantes do Colégio Elite, em São Paulo, que começam a perceber que vários alunos das melhores escolas da cidade estão sumindo. decidem seguir as pistas e descobrem que o cientista Doutor Q.I. está usando esses adolescentes para testar uma arma para seu plano maligno: uma droga capaz de fazer com que qualquer pessoa se torne obediente e passiva.

Categorias: literatura, livros infantis | Tags: , , , | 3 Comentários

3 livros sobre diferentes tipos de pais – Especial Dia dos Pais

compre aqui

compre aqui

o Dia dos Pais está logo aí! por isso, hoje escrevo em homenagem àquele ser difícil de definir, nem sempre presente na vida de todos, de papel mutante ao longo dos últimos anos mas sempre, sempre, incrivelmente especial.

já tentou definir o que é um pai? é coisa complicada pra caramba… antigamente era o provedor da casa, a suma autoridade e a pessoa que deveria ser temida pelos filhos. hoje (ainda bem!) não é mais assim; as mulheres passaram a ser co-provedoras do sustento da família e os homens, co-educadores dos filhos, a autoridade é compartilhada por mãe e pai e não se baseia mais no terror e no medo, mas no respeito à individualidade de cada criança e no amor acima de tudo. mas com os papéis tão misturados e desligados de gênero, como definir o que é um pai?

existem várias piadas pela internet, principalmente na forma de cartuns, de que pai é o mais irresponsável do casal, o que joga a criança três metros pro alto, o que deixa os filhos brincarem com facas e tomadas, o que acha que comer comida caída no chão é bom pra saúde. exageros piadísticos à parte, talvez uma característica comum a muitos pais seja mesmo esse espírito mais aventureiro e livre da maioria dos homens. quem nunca conheceu um pai que brinca de se jogar no chão com os filhos, que conta piadas (semi-)inapropriadas para os coleguinhas e que inventa sempre novos argumentos para ganhar nas discussões com as crianças?

com meu pai, eu aprendi a dançar no meio da sala ao som de rock’n’roll a qualquer hora do dia como se ninguém estivesse olhando. aprendi a desenhar falando ao telefone e a ter boa caligrafia (e ele é médico, hein?!). aprendi que confiança é ter certeza de que a porta sempre está aberta a dúvidas embaraçosas ou confissões vergonhosas, com uma conversa empática e entre iguais, mesmo que haja um castigo no final. aprendi que ler e estudar é muito divertido. aprendi a debater, a brigar, a magoar e a importância de voltar atrás e pedir desculpas.

no meu marido, eu vejo que o pai é a criança que equilibra o rigor e a seriedade da mãe, o que faz cócegas nas crianças até deixá-las vermelhas de tanto rir, o que brinca de ‘psicologia reversa’ e faz com eles as coisas que não gostamos que eles façam com a gente (como ficar fingindo que brinca em frente à TV enquanto está passando um desenho animado que eles querem assistir). é ele quem cozinha, quem leva para passear, quem toma banho junto com as crianças, e quem, quase infalivelmente, saca o momento em que eu vou perder a paciência e assume o controle da situação para evitar brigas e arrependimentos.

pai é tudo isso e muito mais. e pai é como impressão digital, cada pessoa tem um diferente, especial e insubstituível.❤

compre aqui

compre aqui

Meu papai é grande, é forte, mas… (Coralie SaudoKris Di Giacomo, Ed. Girassol)
o pai deste livro ensina pela imitação: quando chega a noite, é ele quem não quer ir para a cama! tem medo do escuro, quer ouvir uma, duas, três histórias antes de dormir, pede água e quer ir pra cama do filho, que pacientemente tenta convencer seu pai que é hora de descansar, que amanhã tem mais brincadeiras, e deixa uma luz acesa para afugentar o escuro. para brincar de ensinar pelo comportamento e para repensar papéis de pai e filho.

compre aqui

compre aqui

Papai tatuado (Daniel Nesquens, WMF Martins Fontes)
o pai deste livro ensina através de histórias: toda vez que volta pra casa, um pai conta a seu filho as histórias mais incríveis ilustradas por tatuagens que cobrem todo seu corpo, misturando realidade e fantasia. além de trazer o tema da tatuagem, que é bastante incomum em livros infantis mas super corriqueiro na realidade, a história aborda também as marcas que a experiência deixa em cada um e as histórias que existem por trás delas.

compre aqui

compre aqui

Pê de pai (Isabel Minhós MartinsBernardo Carvalho, Cosac Naify)
o pai deste livro é múltiplo: representa vários tipos de pai ou as várias formas que os pais assumem para seus filhos, como o ‘pai-colchão’ e o ‘pai-doutor’, entre muitos outros. através de rimas, a autora descreve os muitos pais que existem enquanto o ilustrador usa traços simples e cores contrastantes para focar somente na parte importante de cada pai. para reler diversas vezes.

Categorias: literatura, livros, livros infantis | Tags: , , , , , | 2 Comentários

3 livros para quem tem medo do escuro

compre aqui

compre aqui

nunca conheci uma criança que não tenha medo do escuro.
aliás, tampouco conheci um adulto que não tenha tido medo do escuro quando criança. (conheço alguns que têm medo até hoje, mas shhhhhh….)

quando a gente é pequeno, ter medo do escuro é tão óbvio quanto gostar de brincar e querer descobrir o porquê de tudo. curiosamente, eles nunca nos perguntam o porquê de terem medo do escuro, né? nem eu nunca me perguntei isso. era tão óbvio!

só depois de ter minhas próprias crianças e aprender a olhar a infância à partir de um ponto de vista externo a ela, foi que me vi curiosa a esse respeito: por que crianças têm medo do escuro? quando surge esse medo? quando ele vai embora? li em vários livros interessantes sobre puericultura que o medo do escuro (bem como outros medos) pode se intensificar ou até mesmo se alongar por anos como consequência de fatores relacionados à vida em família (como separação dos pais, brigas, negligência) ou acontecimentos pontuais marcantes na vida da criança (como mudança de cidade/país/escola, violência etc.). mas esses são casos extraordinários.

o mais comum é que crianças normalmente têm medo do escuro porque ele representa o desconhecido, o intangível, o inesperado. dos 2 aos 6 anos, mais ou menos, a criança apreende o mundo concreto – e o escuro é indefinido, abstrato, pode ser tudo e não é nada ao mesmo tempo. é lá que vivem todas as dúvidas que elas mesmas não sabem que possuem, os monstros sem formas, os sentimentos incontroláveis. por isso esse medo tende a sumir quando a criança passa a ser capaz de racionalizá-lo; ou quando descobre as luzes noturnas e lanternas na cabeceira da cama.😀

para ajudar crianças (e adultos!) a entender esse medo e aprender a lidar com ele, deixo 3 dicas de livros bacanas sobre o escuro. para ler antes de dormir – bem.😉

OGatoEOEscuroO gato e o escuro (Mia Couto, Cia. das Letrinhas)
Mia Couto, para quem não conhece, é um escritor moçambicano que inventa palavras como fazia Guimarães Rosa. seus escritos são incrivelmente poéticos e lúdicos, lembrando narrativas míticas de criação. nesta história, ele conta como um gatinho entrou no escuro e mudou de cor, e como ele descobriu que não é do escuro que temos medo, mas do que colocamos dentro dele. uma poesia em forma de prosa para ser relida por toda a vida.❤

compre aqui

compre aqui

O escuro (Lemony Snicket, Cia. das Letrinhas)
com ilustrações de Jon Klassen, este livro conta a história do menino Luca que, como qualquer outra criança, tinha medo do escuro, que morava na casa dele. depois que o sol se punha, Luca via o escuro em todo lugar: dentro do armário, através da janela fria e, principalmente, no lugar preferido onde o escuro se escondia: no porão. um dia, o escuro chama Luca e eles passam a conversar enquanto o menino vai à sua procura porão adentro. um livro esclarecedor!

compre aqui

compre aqui

Orion e o escuro (Emma Yarlett, Globinho)
o menino Orion tem medo de várias coisas, como tempestades, armários e porões, mas seu maior medo é mesmo do escuro. ele passa seus dias bolando planos infalíveis para acabar com o escuro, como uma lâmpada que nunca se apaga, por exemplo, mas nada dá certo. até que um dia ele resolve exigir que o escuro suma! ao invés disso, o escuro decide descer e se apresentar ao menino, levando Orion para uma incrível aventura pelo lado divertido da escuridão. será que o escuro dá medo mesmo?

Categorias: livros, livros infantis | Tags: , , | Deixe um comentário

3 livros sobre piratas – especial para o Chico!

compre aqui

compre aqui

hoje, meu príncipe do meio, o Chico, completa 4 anos!❤
em homenagem a ele, que adora piratas, passo aqui rapidinho (em meio à loucura das férias escolares!) para deixar 3 dicas de livros super bacanas recheados de piratas e muitas aventuras!
ahoy!

temporariamente indisponível para compra

temporariamente indisponível para compra

O pirata Nhac (Jonny Duddle, Brinque-Book)
o pirata Barba-Roxa e seus companheiros gananciosos partem em busca de um suposto tesouro guardado por um terrível monstro marinho. além da história bem contada, o livro cativa principalmente pelas incríveis ilustrações do autor, cheias de detalhes e cores, num livro grande e de capa dura!

compre aqui

compre aqui

O pirata e o farmacêutico (Robert Louis Stevenson, Companhia das Letrinhas)
escrito pelo mesmo autor do clássico O médico e o monstro, este livro conta a história de dois amigos que crescem juntos mas acabam tomando caminhos opostos na vida. depois de algum tempo, os dois se reencontram e o que acontece é surpreendente!

compre aqui

compre aqui

Peter e Wendy (JM Barrie, Cosac Naify)
quem não conhece a história do menino Peter Pan, que não queria crescer? e quem nunca quis ir passar umas férias na Terra do Nunca? este livro conta a versão original da história clássica de Peter Pan e dos irmãos Darling e suas lutas contra o terrível Capitão Gancho e seus piratas, numa edição linda e ilustrada pelo designer Guto Lacaz.

Categorias: Chico, literatura, livros, livros infantis, piratas | Tags: , | Deixe um comentário

3 livros para conhecer o céu – especial New Horizons

compre aqui

compre aqui

daqui a uma semana, no dia 14 de julho, nós vamos presenciar um feito histórico: pela primeira vez uma sonda espacial, chamada New Horizons, vai voar bem pertinho de Plutão e nós vamos finalmente saber do que é feito esse mundo tão distante!😀

descoberto em 1930 pelo astrônomo americano Clyde Tombaugh, Plutão foi considerado o último planeta do sistema solar, a uma distância de 5,8 bilhões de quilômetros do Sol! em 2006, a União Astronômica Internacional (um conselho composto pelos mais importantes astrofísicos do mundo) decidiu mudar a classificação de Plutão para ‘planeta-anão’, por considerá-lo muito diferente dos chamados ‘planetas principais’ (os 8 que conhecemos) e mais parecido com outros corpos celestes como Ceres, Makemake, Haumea, Eris e outros objetos transnetunianos (corpos celestes que ‘habitam’ a região do Cinturão de Kuiper, pra lá de Netuno).

de todo modo, Plutão sempre esteve presente no imaginário coletivo. por ser praticamente invisível mesmo pelos telescópios mais poderosos, nunca se soube que cara tem esse planeta tão gelado e escuro e isso atiçou a curiosidade de muitos cientistas desde sua descoberta. em 2006, no mesmo ano em que o planeta foi reclassificado, a NASA lançou a sonda New Horizons em direção ao planeta-anão. o projeto é para que a sonda só passe por Plutão e continue em seu trajeto através do Cinturão de Kuiper, mas nessa passagem a sonda, que carrega vários equipamentos de medição, vai coletar o maior número de informações possível sobre o planeta-anão e suas luas!

ou seja, nós estamos assistindo a história sendo escrita: depois de uma viagem de 9 anos pelo espaço, vamos presenciar ao vivo as primeiras imagens precisas e próximas do planeta mais esquivo do sistema solar! fique de olho.😉

se você, assim como eu, se interessa muito por astronomia, aqui vai uma listinha de 3 livros para conhecer melhor o céu:

compre aqui

compre aqui

A história das estrelas (Neal Layton, Companhia das Letrinhas)
um livro super bacana para entender o que são estrelas, como elas nascem, se morrem, quais os tipos que existem, além de aprender um pouco da história da astronomia. tem capa dura e um monte de abas interativas e pop-ups!

compre aqui

compre aqui

O mais sensacional guia intergaláctico do espaço (Carole Stott, Companhia das Letrinhas)
não só a gente aprende sobre a história do universo: o começo de tudo, o Big Bang, e como as galáxias, estrelas e planetas passaram a existir, como também aprendemos sobre como se tornar um astronauta, sondas espaciais e telescópios etc. um verdadeiro guia espacial!

compre aqui

compre aqui

A menina que batizou Plutão e outras histórias extraordinárias de jovens cientistas (Marc McCutcheon, Cosac Naify)
nas nove histórias reunidas neste livro, aprendemos sobre Venetia Burney, a menina que aos 11 anos deu nome ao recém-descoberto ‘planeta X’, Louis Braille, o garoto que inventou uma escrita que pode ser lida por cegos, Philo Farnsworth, que aos 14 anos teve uma ideia que levou à invenção da TV, e outras crianças e jovens que criaram coisas incríveis através da observação da natureza e de ideias brilhantes!

Categorias: astronomia, livros infantis, New Horizons, Plutão | Tags: , , | Deixe um comentário

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Mães Loucas

porque "mãe louca" é redundância.

Mãe-solteira recém-casada

porque "mãe louca" é redundância.

porque "mãe louca" é redundância.

Mamatraca

porque "mãe louca" é redundância.

Bebê com Estilo

porque "mãe louca" é redundância.

bora.ai blog

bora aí blog - dicas

Minha Mãe que Disse!

porque "mãe louca" é redundância.

Pequena que pariu

porque "mãe louca" é redundância.

O Blog da Sofia

Tudo sobre bebês e ser mãe, da gravidez ao nascimento do filho.